Em Parapedagogia

Imagine uma caverna habitada por seres humanos que dela nunca saíram e na qual apenas uma fração da luz do dia entre. Amarrados uns aos outros, enxergam apenas uma parede ao fundo da caverna.

Em frente à luz outros homens se movem carregando objetos representando diversos tipos de coisas. Os habitantes da caverna nada podem ver além das sombras dos objetos projetadas no fundo da caverna, nada podem escutar se não os ecos das vozes dos homens que carregam os artefatos.

Por nunca terem visto outra coisa, os habitantes da caverna acreditam que as sombras projetadas na caverna são a única verdade, a própria realidade. Confundem o eco das vozes escutadas, pensando serem emitidas pelas próprias sombras. 

Porém um dos habitantes da caverna consegue se soltar das correntes, se volta para a luz e começa a subir em direção à entrada da caverna. Com sua visão ainda ofuscada pela luz começa a se habituar às novas imagens com que se depara. Aos poucos passa a ver as estatuetas se movendo e gerando as sombras.

Percebe nas estatuetas mais detalhes e mais beleza que as sombras que antes via projetadas na caverna. As sombras agora lhe parecem algo irreal, limitado, apenas uma representação pobre dos objetos.

Segue para a extremidade da caverna e enxerga várias coisas em si mesmas, objetos dos quais apenas percebia sombras. Vê a luz do sol e seu reflexo em todas as coisas. 

O habitante percebe agora que estas coisas são a realidade. Triste por seus companheiros da caverna, reféns de sua ignorância sobre as causas últimas das coisas, decide retornar a fim de libertar seus irmãos das correntes que os prendem à escravidão da ignorância. 

Quando retorna à caverna é recebido como louco. Seus amigos, acorrentados e vendo nada além das sombras dos objetos, reconhecem apenas a realidade que pensam ser verdadeira, as próprias sombras. 

Para a Conscienciologia a vida humana é um fragmento da realidade, como as sombras na alegoria da caverna de Platão. A realidade em sua essência, maior e mais permanente, se expande além da vida física, se estende para o infinito no tempo e em diferentes dimensões de manifestação da vida, onde a alma imortal sobrevive aos diversos ciclos de vida e morte até não mais precisar renascer.

~~~ * ~~~

A Reaprendentia é uma organização sem fins de lucro com base no voluntariado. Oferecemos informações, cursos e oficinas para promover experiências pessoais com bioenergias, dimensões extrafísicas e autoconhecimento através da aprendizagem em um contexto de múltiplas vidas. Atividades são organizadas regularmente em Foz do Iguaçu, PR, Blumenau, SC e São Paulo, SP.

Assine o nosso newsletter e mantenha-se informado sobre eventos em outras cidades do Brasil e da publicação de novos artigos nesse site.

Rating: 5.0/5. From 2 votes.
Please wait...
William Klein
William Klein, licenciado em Física, empresário. Voluntário da Conscienciologia desde 1992. Fundador da Reaprendentia, presidente da Reaprendentia de 2007 a 2015, professor de Conscienciologia desde setembro de 2000, tenepessista.

Envie um Comentário

Recommended Posts

Digite o termo que procura e pressione "enter" para iniciar a busca.